Última Atualização:

Vender pela internet é uma realidade.Basta analisar os números. Segundo dados da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm), o faturamento das vendas neste setor deve crescer 16%, em comparação a 2018, atingindo R$ 79,9 bilhões em comercializações online neste ano de 2019.

Isso mesmo: neste ano teremos quase 80 Bilhões de reais gerados por vendas pela internet. Como “afiliado”, você certamente irá fisgar parte desse dinheiro.

Mas não é tão fácil assim vender online. Você precisa ter muito mais que um website bonito e uma oferta interessante. Você precisa conectar-se com seus “leads”.  Nesse artigo vou citar dois fatores que a neurociência comprova como essenciais para criar essa conexão e tornar o processo de compra mais natural.

NEUROCIÊNCIA E VENDAS ONLINE

Desde a década de 90 cientistas empenharam-se em entender o funcionamento do cérebro humano e suas reações a estímulos externos.

Por exemplo, a anúncios e campanhas publicitárias em geral. Com centenas de estudos e milhares de laudos foi possível identificar alguns pontos essenciais para conectar com o cérebro do cliente. A partir daí foi possível ter uma certa previsibilidade no processo decisório de compra, permitindo-nos facilitar a conversão de leads em clientes. São conceitos que, uma vez entendidos, podem ser aplicados imediatamente em suas campanhas de comunicação e vendas.

CONCEITO A – IMAGENS CORINGA

Existem algumas imagens que chamam mais a nossa atenção do que outras.

Por exemplo:

Em uma loja online de jóias para umbigo, podemos apresentar o produto de duas maneiras diferentes:

Opção 1

Opção 2

Qual das opções chamou mais a sua atenção?

Independente do sexo, idade ou etinia, a opção 2 certamente causa um impacto maior no ser humano. Isso se deve ao fato de que imagens da região abdominal (seja de homens ou mulheres) despertam o interesse alheio. Cientistas chegaram à essa conclusão após analisarem centenas de eletroencefalogramas observando as regiões cerebrais que são ativadas ao expor o indivíduo analisado à figuras como essas.

Mas, e se eu desejar divulgar serviços, e não produtos tão específicos como o exemplo acima? Felizmente temos mais alternativas como imagens coringa, que poderão ser utilizadas com sucesso em sua campanha publicitária.

Abaixo seguem 5 exemplos de imagens coringa:

  1. Imagens que contenham olhos marcantes. As pessoas se conectam com olhares. Podem ser olhos humanos ou de animais fofinhos. Só é preciso tomar cuidado para não deixar sua publicidade com um ar muto intimidador. Isso geralmente acontece quando você utiliza por exemplo olhos de onça em tons escuros.
  2. Imagens que contenham bebês, sejam eles humanos ou animais. As pessoas amam conectar-se com filhotes. Ao olhar uma publicidade com um filhote geralmente soltam um: “Uau, que fofo!!!”. Dependendo da sua oferta essa reação pode ser positiva.
  3. Imagens que contenham rosto humano.  Rosto humano conecta, e conecta muito! Desde muito cedo somos condicionados a aprender e perceber o mundo à nossa volta, enquanto seres sociais, prestando atenção em outras pessoas. Em outros rostos, em outras fisionomias com dezenas de expressões. Quanto mais expressivo for, mais interessante fica e automaticamente capta mais atenção.
  4. Imagens que quebrem padrões do seu “avatar”. Por exemplo, o avatar que aspira por mais dinheiro, ignoraria absolutamente tudo o que estiver acontecendo ao seu redor. Por exemplo, se ele se deparasse com uma imagem ou com um vídeo de dinheiro pegando fogo. Outro exemplo: O avatar que preza pela estabilidade em um cargo tradicional no mercado de trabalho, teria sua atenção quase que completa para um anúncio que mostra uma carteira de trabalho picotada ou queimando. A quebra de padrão é impossível de ignorar, porém ela só funciona se você conhecer a fundo o seu avatar.
  5. Imagens com partes do corpo em específico (sem vulgaridade): Imagens do corpo humano que captam o olhar de interesse não precisam necessariamente serem vulgares. Partes do corpo como: nuca, abdome e panturrilha (batata da perna) são exemplos que podemos utilizar à vontade dependendo do contexto. Obviamente glúteos e seios chamam atenção mas, é importante lembrar, desejamos vender nossos produtos e serviços e não a modelo, correto?

CONCEITO 2 – CORES ESTRATÉGICAS

Usar cores de maneira estratégica soou como um mito por muito tempo. Mas não é algo assim tão banal de acordo com estudos recentes. Quer descobrir o mistério por trás das cores? Continue lendo.

O que são as cores afinal? Cores são manifestações de luz refletida ou absorvida pelos elementos. Esse comportamento da luz sobre os elementos produz uma determinada frequência e esta por sua vez é captada por um órgão complexo (nossos olhos) e processadas em nosso córtex ocipital (parte do cérebro que fica um pouco acima da nossa nuca).

A mágica acontece quando a cor é processada em nosso cérebro. Ao processar cada cor, nosso cérebro produz mais ou menos substâncias (neurotransmissoras) e a quantidade dessas substâncias é capaz de determinar o que sentimos. Agora leia novamente esse parágrafo. Entendendo-o, você irá tomar o máximo de cuidado ao escolher a cor dos botões de ação e da sua identidade visual.

Abaixo citamos algumas cores e os efeitos que elas causam ao serem processadas pelo nosso cérebro:

  1. Tons de Azul:  Inspiram confiança, segurança, força, maturidade, harmonia e constância.
  2. Tons de Amarelo: Inspiram otimismo, clareza, calor, energia, prosperidade e alegria.
  3. Tons de Laranja: Inspiram alegria, lealdade, amizade, jovialidade, força, entusiasmo e energia.
  4. Tons de Roxo: Inspiram nobreza, intelectualidade, criatividade, sabedoria, imaginação, sucesso.
  5. Tons de Vermelho: Inspiram ação, excitação, pressa, juventude, coragem, paixão;
  6. Tons de Cinza/Preto: Inspiram  neutralidade, equilíbrio, calma, passividade, exclusividade, prestígio, luxo.

A essa altura você  já tem condições de otimizar melhor seu website, seu funil, seu cartão de visitas, sua identidade visual, seus anúncios, ou seja, sua campanha de marketing em geral.

Share This